Investigação da morte de Luís da Banha corre em segredo de Justiça, o corpo foi sepultado na manhã desta terça feira

Segue indefinida a autoria e motivação do assassinato brutal do fazendeiro Luiz Amorim Fernandes, mais conhecido como Luiz da Banha, em Bacabal/MA.

O Secretário de Estado da Segurança Pública do Maranhão, Leonardo Diniz, e o Delegado Regional, Oseias Cavalcanti, fizeram uma coletiva nesta segunda-feira (28) para falar sobre o caso, na delegacia regional de Bacabal.
Sem entrar em muitos detalhes sobre as investigações, o delegado Oseias informou que até o momento há dois suspeitos detidos no Presídio de Bacabal. Eles foram identificados por uma testemunha que estava no local e apresentou as informações para os policiais. Com eles foram encontrados duas armas brancas e uma arma de fogo. Os dois foram detidos em locais diferentes e negam participação no assassinato.

 Há um áudio circulando nos grupos de Whatsapp, passando a informação de que um desses suspeitos seria filho de um homem que, tempos atrás, teve um desentendimento com o fazendeiro Luiz da Banha. A Polícia Civil investiga se esse evento tem alguma relação com o crime. O caseiro também está sendo ouvido como testemunha e, em breve, alguns pontos “cegos” serão esclarecidos ao longo da investigação. No entanto, diante dos elementos informativos, a polícia tem o caso desvendado; a vítima não sofreu sequestro, ja que foi morta logo depois de ser abordada; a caminhonete sequer foi levada; tudo indica que o Luiz foi assassinado por vingança.
Caseiro

O repórter Romário Alves chegou a questionar na coletiva o fato do caseiro ter sido liberado do suposto sequestro, conseguindo carona com uma pessoa para retornar à fazenda na qual trabalha, em seguida foi para casa de uma irmã e, por todo esse momento, não ter entrado em contato com a polícia. Ele declarou que foi amarrado junto ao fazendeiro e colocado capuz, antes de ser liberado. “Cadê o capuz e como ele conseguiu se desvencilhar das cordas?”.

 O delegado Oseias Cavalcanti confirmou que o caseiro é testemunha do caso, a sua trajetória no ocorrido será investigada, uma vez que não pode ser descartada também a possibilidade de, logo depois do crime, o mesmo ter ficado nervoso e não saber como agir adequadamente depois daquela experiência.
Sabe-se que o caseiro estava no carro com o fazendeiro, quando eles foram abordados por dois homens em uma moto. Os envolvidos amarraram as vítimas e saíram dirigindo a caminhonete até um certo local, onde o caseiro foi liberado e Luiz foi levado para o local de sua execução.   Num certo ponto, o fazendeiro foi  brutalmente assassinato e seu corpo foi deixado na carroceria da caminhonete em uma área de mato. Ocorre que os suspeitos detidos alegam que não sabem dirigir carros, por isso, cada detalhe deve ser esclarecido. Peritos criminais estiveram no município, examinaram o corpo, a camionete e o suposto local da execução e, até o momento, o delegado não quis antecipar as conclusões, confirmando apenas que há duas pessoas no Presídio de Bacabal até o momento, sendo que ambas negam participação no assassinato. Participaram da operação, equipe do COSAR, Polícia Civil, Força Tática, Polícia Militar e um helicóptero do CTA, que acabou encontrando a caminhonete, em que o corpo do Luís da Banha estava.

O experiente  e mais acessado profissional ROMARIO ALVES acompanha esse fato para o seu  FALANDO DE BOA E O BLOG RODA VIVA COM OSMAR NOLETO, na Delegacia  lá de boa estava o Romarinho vamos ouvir seu relato ao vi

O caso corre agora sob segredo de Justiça.

UM DOS SUSPEITOS  SOBRE O CRIME CONTRA  O PECUARISTA E EMPRESÁRIO  LUIZ DA BANHA 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *